வெற்று நக்கிள் எஃப்சியில் சண்டைக்கு ஷானன் ரிச் மீண்டும் வாண்டர்லீ சில்வாவுக்கு சவால் விடுகிறார்

Apesar de nunca ter sido proibido na Inglaterra, o “Bare Knuckle Boxing”, também conhecido como ‘boxe sem luvas’ foi banido dos EUA em 1892.
Assim como a história da modalidade, a sua prática também é controversa.

Atualmente há uma divisão de opiniões entre a comunidade médica, e alguns destes ( notadamente alguns médicos traumatologistas ) não recomendam a sua prática, principalmente pela maior incidências de fratura nas mãos e na face.
Não podemos deixar de citar também o derramamento de sangue, é claro.

Do outro lado, há aqueles médicos ( principalmente em países do primeiro mundo ), que já conseguiram provar que qualquer modalidade de lutas ‘sem luvas’ é mais segura para a saúde ( do cérebro ) dos competidores do que qualquer esporte similar “enluvado”.
“O que não sangra para fora, sangra para dentro”, já dizia um antigo ditado.

Os promotores do “Bare Knuckle Boxing” aproveitam o ‘gancho’ e mandam um recado para os dirigentes da ‘nobre arte’ :

-“O ‘boxe sem luvas’ é tão seguro, se não mais seguro do que o ‘boxe com luvas’. Ter pugilistas sendo espancados por doze rounds e ter o cérebro escorrido de água [ referindo-se à desidratação drástica para o corte de peso ] é o que cria a lesão cerebral.”-diz Jim Freeman, Presidente da consagrada promoção BKB do Reino Unido, que consegue levar um grande público à O2 Arena, em Londres.
[ NOTA .: Há muitos promotores de boxe profissional, ou boxe inglês, ou ainda boxe “enluvado”, que não conseguem promover seus shows na O2 Arena ].

Não custa lembrar, ainda, que as lutas sob as regras do “Bare Knuckle Boxing” tem, no máximo, cinco rounds de dois minutos cada.

Não há como negar que toda essa polêmica tem trazido uma grande divulgação para a modalidade e desde 2016 o ‘boxe sem luvas’ vem ressurgindo nos EUA.
Atualmente, o “Bare Knuckle Boxing” é regulamentado na Flórida, Mississippi e Wyoming e está sob consideração em vários outros estados por toda a América do Norte.

A modalidade já está se tornando popular entre os pagantes do ‘pay-per-view’ e o público lota cada vez mais as arenas, como no caso do Bare Knuckle Fighting Championship ( BKFC ) 8, que rolou no sábado passado em Tampa, na Flórida ( EUA ).
No ‘main event’ ( evento principal ) do BKFC 8 vimos Gabriel “Napão” Gonzaga vencer Antonio “Bigfoot” Silva por nocaute a 1m50s do segundo round.

Entre os ‘vips’ que marcaram presença, nomes consagrados do MMA, como Fabrício Werdum, Hector Lombard e Wanderlei Silva.
Este último teria assinado para lutar pela promoção presidida por David Feldman, de acordo com a jornalista Amy Kaplan, em matéria publicada recentemente no FanSided e que foi replicada em outros portais, como o MMA Mania e MMA Japan.

Assim sendo, o norte-americano Shannon Ritch, que ostenta um cartel de 57-88-0-4 no MMA e 26-3-0 no ‘boxe sem luvas’, lançou um novo desafio ao brasileiro, para um duelo entre veteranos do PRIDE, mas sob as regras do ‘boxe sem luvas’.

-“Quero Silva. Eu só quero que todos saibam. Atualmente eu sou o detentor do cinturão de campeão dos pesos pesados do ‘Bare Knuckle Boxing’ ( International Heavyweight Superfight Bare KnuckleBoxing ) e eu vou colocar esse título em jogo na luta com Wanderlei Silva. Se ele quiser lutar no ‘Bare Knuckle’, eu adoraria recebê-lo no esporte.”-declarou Shannon, ao lançar o seu novo desafio.

Ritch é um lutador bem ranqueado no “Bare Knuckle Boxing”, de acordo com a conceituada publicação ‘National Police Gazette’, que em sua edição de 9 de julho de 2016 apontou o lutador em 1° lugar no ranking norte-americano e em 3° lugar no ranking mundial dos desafiantes do “Bare Knuckle Boxing” na categoria dos pesos pesados.

Este artigo é uma maneira de Shannon Ritch informar ao promotor David Feldman que ele quer lutar contra Wanderlei Silva.

Mas, e para você, caro leitor … Quem vence essa luta ? Shannon Ritch ou Wanderlei Silva ?

* கூட்டுறவு ஓரியோஸ்வால்டோ கோஸ்டாவின் உரை. | எழுதப்பட்டது 22 / 10 / XX

A edição de 9 de julho de 2016 da ‘National Police Gazette’ que classificou Shannon Ritch em 1° e 3° lugar, nos rankings norte-americano e mundial do “Bare Knuckle Boxing”, respectivamente. ( Cortesia | Créditos : National Police Gazette ).